Fiat Mobi automático GSR 1.0 – Conheça o novo automático da Fiat

By | 9 de maio de 2017

Que os automóveis no Brasil estão caros não é novidade, por isso chamados compactos e sub-compactos menos caros ganham a preferência. E as fábrica para conquistar o consumidor estão oferecendo cada vez mais opções, como a Fiat que agora disponibiliza o Mobi drive também com câmbio automático. E o câmbio GRS não é uma novidade, mas grande evolução do Dual Logic, no Mobi Drive com o motor 1.0 firefly de 3 caiu muito bem, com maior torque do motor em baixas rotações e uma nova programação que permite trocas mais rápidas e suaves, ganhou até um novo nome GSR, Sigla de Gear Smart Ride (ou cambio inteligente). Como no novo Uno, as alavancas do câmbio foram substituídos por botões, e também contém aletas para troca de marchas sequenciais atrás do volante. O mais importante porém, é saber como anda não é?

N velocidade máxima é igual ao Mobi Drive de cambio manual, só nas acelerações é um pouco mais lento mas nada que atrapalhe, já nas tomadas ele se sai bem, já que se for preciso é só pisar mais fundo que ele chega a reduzir até duas marchas, dando agilidade ao Mobi. Andando no fluxo do trânsito ou enfrentando um congestionamento, com câmbio na posição drive as trocas estão mais suaves e agradam bastante, só quando se acelera mais forte ou mesmo em subidas, é que o soluço durante a troca ou reduções é sentido com alguma intensidade, incomodando um pouco.

Aliás por falar em subidas é preciso ficar atento, ele tem um sensor de inclinação que ao parar faz aumentar a rotação do motor para que a embreagem atue mais rápido ao tirar o pé do freio, e evitar que o Mobi volte para trás. Engenhoso, mas se a subida for forte ele volta e se acelerar mais rápido provavelmente vai sair cantando pneu. O jeito é segurar no freio de mão e soltar a medida que se acelera como se fosse um auxiliar de partida, alias dispositivo que deveria ter. Outro detalhe para ficar atento é sair do plano e logo em seguida ter uma subida, como o câmbio prioriza o consumo de combustível trocando de marcha rápido, às vezes a segunda não sustenta ele volta para a primeira, com um indesejável soluço, para evitar basta pensar um pouco mais esticando a primeira que resolve. E se os soluços estão incomodando outro macete funciona bem, é fazer as trocas ou reduções manualmente por meio das aletas, sincronizadas com o acelerador como se faz com um câmbio manual comum, ou seja tirando o pé do acelerador trocando a marcha e voltando acelerar, ou ainda usar o modo Sport quando os eventuais soluços são menores, pois as trocas são mais rápidas, só que aí o consumo aumenta, já que o câmbio passa a priorizar o desempenho.

E falando de consumo ou Mobi Drive GSR se saiu bem, não chegou a ser um campeão da lista dos mais econômicos, gastou ligeiramente mais que o Mobi drive e o Uno 1.0 firefly ambos com câmbio manual, mas a média de 12,9 quilômetros por litro de etanol e 18,3 quilômetros por litro de gasolina são praticamente um empate técnico, no restante é exatamente igual ao de câmbio manual, pequeno por fora, só leva dois com conforto, tem porta-malas minúsculo e é bem acabado apesar de usar muito plástico. O câmbio GSR evoluiu muito em relação ao Dual Logic e no Mobi me agrada bastante, principalmente porque ficou mais fácil contornar as pequenas deficiências, ajuda a enfrentar melhor o trânsito na cidade e ainda proporciona uma dirigibilidade agradável, e se ele não é dos mais baratos do mercado, pelo menos por enquanto é o mais barato dos equipados com câmbio automático. O Fiat Mobi GSR 1.0 sai das concessionárias a partir de:  R$44.780, o que você achou? Deixe sua opinião nos comentários!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *